O Dia da Consciência Negra- 2019

O Dia da Consciência Negra é comemorado em todo território nacional. Esta data foi escolhida
por ter sido o dia da morte do líder negro "Zumbi", que lutou contra a escravidão no Brasil.
A celebração relembra a importância de refletir sobre a posição dos negros na sociedade.
Afinal, as gerações que sucederam a época de escravidão sofreram diversos níveis de
preconceito. A data foi estabelecida pelo projeto Lei n.º 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003.
No entanto, somente em 2011 a lei foi sancionada (Lei 12.519/2011) pela presidente Dilma
Rousseff.
Em alguns estados do país, o Dia da Consciência Negra é feriado como no Rio de Janeiro,
Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio Grande do Sul.
 
História do Dia da Consciência Negra
 
As diversas nações africanas não se reconheciam como negros, e sim como Bantos, Haúças,
Niams, Fulas, Kanembus, etc. Os primeiros africanos trazidos para o Brasil como escravos
chegaram aqui em 1532. A abolição do tráfico negreiro deu-se em 1850, pela Lei Eusébio de
Queiroz. Após a abolição formal da escravidão no dia 13 de maio de 1888, a busca da
"liberdade" e da igualdade por direitos dos negros jamais cessou.
 
O sentimento de discriminação sentido por todos os lados tornou o negro excluído da
sociedade, da educação e assim, marginalizado no mercado de trabalho. Essa exclusão foi aos
poucos se diluindo. O negro encontrava lugar nos esportes e artes, mas não tinha acesso à
universidade, por exemplo. Deste modo, a população negra optou por uma celebração
simbólica dessa luta constante para sua libertação. A criação de um dia comemorativo da
Consciência Negra é uma forma de lembrar a importância de valorizar um povo que contribuiu
para o desenvolvimento da cultura brasileira.
 
No dia 9 de janeiro de 2003, a Lei Federal 10.639 instituiu o "Dia Nacional da Consciência
Negra", no calendário escolar. O ensino da cultura afro-brasileira passou a fazer parte do
currículo escolar em todo o país. Durante este período, diversas atividades e projetos são
realizados nas escolas de todo o país para comemorar a luta dos afrodescendentes. Além
disso, tem o intuito de conscientizar a população para a importância desse povo na formação
social, histórica e cultural de nosso país.
 
Zumbi dos Palmares
 
Zumbi, nascido num Quilombo (aldeia onde viviam os escravos fugitivos), lutou até a morte
para defender seu povo contra a escravidão. Da escravidão, Zumbi só conhecia as terríveis
histórias que os mais velhos estavam sempre contando. Eles lembravam a morte no porão dos
navios, a escuridão das senzalas, o trabalho escravo e os castigos sofridos. O Quilombo dos
Palmares estava situado numa longa faixa de terra de 200 quilômetros de largura. Estava
paralelo à costa, situado entre o cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco, e a parte norte do
curso superior do rio São Francisco, hoje no estado de Alagoas.